O mundialmente famoso ator e comediante Jim Carrey falou sobre sua luta constante contra a depressão, doença que atinge cerca de 350 milhões de pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo relado da Revista Vix, escrito por Lígia Lotero, o ator revelou o diagnóstico em 2004, durante uma entrevista à rede norte-americana CBS News, e chegou a comentar sobre as fases da doença: “Há picos e vales, mas eles são sempre cavados e suavizados para que você sinta um permanente desespero e fique sem respostas, mesmo que viva bem”, disse na época.

Como o ator e paciente se descreve diante da doença

O ator afirma que a doença é intermitente:e “às vezes, é feliz” e explica que a depressão vai e volta, mas seagora ele aprendeu a conviver e enfrentá-la.

“Neste momento, eu não tenho depressão. Não há uma experiência de depressão. Eu tive isso por anos, mas, agora, quando a chuva vem, chove, mas passa. Ela não fica mais o suficiente para me deixar imerso e me afogar”, descreveu.

O fato de agir quase que normalmente e não prostrar-se diante da vida não significa que a pessoa não esteja vivendo um quadro de depressão. Jim Carrey é um exemplo disso, já que continuou a trabalhar e até a manter o característico senso de humor em público, mesmo com depressão, afirma o editorial da revista.

O mais importante é que o paciente aprenda a identificar os sinais da depressão e a controlar, mediante tratamento, a doença, de modo a não perder a qualidade de vida. E nunca querer cuidar-se sozinho. Deve-se, sempre, buscar auxílio médico. Casa situação é única e apenas os profissionas habilitados poderão, com mecamentos antidepressivos,  terapia com psicólogo e mudança de hábitos, auxiliar com eficiência a superação da doença.

FONTEFãs de psicanálise
COMPARTILHAR
A Grande Arte De Ser Feliz

Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.


COMENTÁRIOS