Empilhar pedras, quem diria, pode ser um jeito extraordinário de aquietar a alma! Quando você está muito triste ou muito angustiada, brincar, afinal, pode ser uma excelente ideia.

Acreditem, equilibrar pedras é uma arte antiga, praticada no mundo inteiro… Existem exemplos de gigantescas pedras empilhadas em vários locais de Portugal, onde se equilibram desde o neolítico; na Inglaterra, arrumam-se em um círculo majestoso chamado Stonehenge, mas surgem um pouco por toda aquela região, na Irlanda, no País de Gales, sempre em círculos ou semicírculos sagrados…e até na Austrália, os antigos registravam sua passagem deixando aqui e ali, em meio à paisagem desértica, blocos de pedras cuidadosamente aprumados… Estas obras-primas do equilíbrio estão presentes nos jardins japoneses, fazendo refletir quem passa sobre as delicadas distinções entre movimento e quietude, solidez e leveza… no Japão as pedras são temas de contemplação, como uma forma de oração…

Uma pedra pode ser estável, mas tente colocar várias, uma por cima das outras e toda estabilidade desaparece para dar lugar a algo tão frágil que o sopro da brisa pode rapidamente destruir… Por isso, as pedras empilhadas falam de equilíbrio e de impermanência. Falam de paciência e de recomeço. Falam de persistência e de submissão. Falam de rir, quando toda pilha desaba pela milésima vez, falam de sintonia para perceber o peso de cada pedra e sua forma. Falam de um jogo da alma. Coisa de criança, mas que tem o poder de aquietar a mente. Quem diria…

E ai vão algumas regrinhas práticas, caso queira experimentar
Prefira fazer sua escultura em um lugar próximo à Natureza, claro que valem desde as praias desertas até os parques mais próximos, passando pelos jardins e pelos cantinhos de varandas. Importante é estar em silêncio e poder permanecer assim por algumas horas; então, já sabe, desligue os intrusos barulhentos de todos os tipos, o momento é de estar sozinho consigo mesmo…

Escolha com calma as pedras que vai usar.
É fácil se você tem um jardim ou mora perto de uma praça ou um parque. Senão vai ter que começar o jogo um dia antes procurando as pedras que vai usar na sua escultura, não precisam ser dezenas, algumas apenas, até porque você não vai conseguir equilibrar muitas no início.
Uma das pedras precisa ser a base, deve ser maior e mais pesada que as outras. O lado polido fica mais bonito para cima, mas faz a pedra de cima escorregar.

Observe o peso e o formato de cada pedra.
Como você acha que ela se encaixaria no conjunto? Passe os dedos pela superfície, conheça-a. Equilibrar pedras é um exercício de atenção, de presença…/
Depois de pronta a escultura – sente-se e olhe bem, é ou não um instante cristalizado de beleza?

Fonte: http://somostodosum.ig.com.br (com adaptações)

Foto: Escultura do artista italiano Deva Manfredo – construiu um parque só com pedras empilhadas

COMPARTILHAR
A Grande Arte De Ser Feliz

Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.


COMENTÁRIOS