Deixar-se levar pelo compasso do bandoneón, pelo abraço na pista de baile, pela poesia salpicada de nostalgia dos tangueiros, para conhecer a fibra mais íntima de uma cidade.

De origem marginal e prostibular, durante a primeira metade do século XX, o tango se tornou a música da cidadania por excelência. Percorrer os bairros tipicamente tangueiros é uma boa forma de conhecer a mítica desta música porteña. Embora seja frequente encontrar vestígios de tango em qualquer esquina da cidade, músicos de rua que tocam o bandoneón e casais que dançam para depois “passar o chapéu” -pasar la gorra- (na clássica rua de pedestres Florida, nas praças da charmosa Recoleta), existem bairros emblemáticos pela sua história vinculada ao tango.

Na Buenos Aires do século XXI, o tango não é só uma lembrança. A cultura do 2×4 conta com uma cena tangueira renovada, alimentada por novas gerações de músicos que fusionam a música cidadã com outras expressões musicais, ou simplesmente a adaptam à sensibilidade musical desta época. Quando cai a noite na cidade, o tango se manifesta com toda sua sensualidade e seu encanto nas casas de tango, milongas, shows e espetáculos teatrais de alto impacto. O circuito é amplo e diverso e se concentra principalmente nos bairros da zona sul, onde orquestras, cantores e dançarinos de primeiro nível oferecem propostas clássicas e de vanguarda, que estão acompanhadas por um magnífico jantar autenticamente argentino (entre o tango, o churrasco, as empanadas e o vinho, instalou-se uma curiosa união plena de prazeres). O que prevalece nesta experiência é o virtuosismo. Os casais de dançarinos ensaiam passos dificílimos, com giros, voltas e saltos. O vestuário é luxuoso. Os cantores e as orquestras acompanham de maneira maravilhosa, aportando o glamour à noite tangueira de Buenos Aires.

Menos conhecidas, mas nem por isso menos atraentes, são as milongas (no centro e nos bairros de Almagro, Abasto e Palermo), onde o objetivo é dançar até gastar a pista. Longe do conceito de espetáculo, nas milongas populares todos são protagonistas. Aqui o tango não se contempla, se vive. Na pista de baile, confundem-se expertos, aficionados, principiantes e curiosos de todas as idades. Algumas milongas começam com aulas de dança onde se aprendem os 8 passos básicos. Para tomar aulas é preciso chegar cedo. Depois, é só se deixar levar. A improvisação é uma das características mais fascinantes do tango.

O tango se desfruta em Buenos Aires durante o ano inteiro, mas no mês de agosto os amantes da música cidadã têm um encontro inevitável: o Festival e Campeonato Mundial de Tango. Concertos multitudinários, milongas ao ar livre, exposições de desenho tangueiro, convertem o tango em uma verdadeira festa porteña.

FONTEArgentina Travel
COMPARTILHAR
A Grande Arte De Ser Feliz

Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.


COMENTÁRIOS