Não sei como existem pessoas que não gostam de animação. É tão bom ver um filme leve e dar boas risadas. E Trolls não decepciona nesse quesito.

Se Trolls (lançado em outubro de 2016) não traz o frescor já testado em outras produções do gênero, por outro lado, se apoia na música como grande diferencial, para entregar uma obra colorida – e claramente infantil, com uma mensagem edificante para os pequenos.

No filme, os bonecos de cabelos coloridos são a personificação da fofura. Os Trolls vivem para um único objetivo (ou melhor, três): cantar, dançar e abraçar (o que pode ser resumido como: para serem insuportavelmente alegres). Como nem tudo é (nem pode ser) um mar de rosas, existem os Berguens, monstrengos um tanto “deprês” que acreditam que a única forma de alcançar a felicidade é comendo um Troll – mesmo que seja por um dia, apenas.

Depois que um grupo de fofinhos é capturado, a esfuziante princesa Poppy (voz de Anna Kendrick), com a ajuda do amargurado Tronco/ Branch (Justin Timberlake) – sim, há um Troll infeliz entre nós – precisa resgatar a turma e, para isso, vai buscar a ajuda de uma assistente de cozinha Bergen, que é apaixonada pelo príncipe da sua tribo (e, claro, acha que não tem nenhuma chance com ele)…

COMPARTILHAR
A Grande Arte De Ser Feliz

Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.


COMENTÁRIOS