Quando cantamos o Moola Mantra, evocamos o poder da Presença Divina. Mesmo sem saber o seu significado, o canto já carrega poder por si só. Mas quando sabemos o significado e cantamos o Moola Mantra com esse entendimento no nosso coração, a energia que flui através do canto é muito mais poderosa.

Cantar o Moola Mantra é como chamar por um nome. Estamos chamando Deus, ou a Presença Divina, o Eu Superior ou o nome como você prefira chamar. Evocamos a energia Divina através do Moola Mantra. E atendendo ao nosso chamado, ela se manifesta ao nosso redor e em nós.

Om Sat Chit Ananda Parabrahma Purushotama Paramatma Sri Bhagavati
Sametha Sri Bhagavate Namaha

O Divino pode se manifestar em qualquer lugar, a qualquer momento. Então o Moola Mantra pode ser cantado ou falado, em voz alta ou interiormente, em qualquer lugar ou situação, e o efeito dele será sempre como um chamado que é atendido.

É importante também saber que quando evocamos a energia Divina com entrega, humildade, respeito e com grande vontade, a Presença se manifesta ainda mais forte. E é possível ensinarmos esse mantra para outras pessoas se quisermos ajudá-las e se elas entenderem que isso poderá ser benéfico.

O significado do Moola Mantra

O Moola Mantra é um chamado pelo Divino. E como o Divino está em todas as partes, em tudo o que é manifesto e também naquilo que é não-manifestado, como o Divino pode estar dentro de nós e fora de nós, e também pode estar encarnado em um corpo humano (através da manifestação de um Avatar), o Moola Mantra chama pelo Divino em todas essas possibilidades de manifestação.

Ao cantar o mantra, estamos chamando o Divino em cada aspecto possível de sua manifestação e não-manifestação.

OM é o princípio universal, o som primordial. É o som do Universo. OM é uma sílaba sagrada que representa BRAHMAN, que é o Absoluto Impessoal, onipotente, onipresente e fonte de toda a existência manifesta. Como BRAHMAN é em si, é incompreensível, o símbolo OM se tornou necessário para nos ajudar a entender o incognoscível.

OM representa então, tanto o aspecto não-manifesto quanto o aspecto manifesto de Deus, e é por isso que é também chamado de Pravana, significando que ele penetra na vida e corre através de nosso Prana ou respiração. SAT-CHIT-ANANDA, são as três qualidades do Universo, ou de Deus.

SAT significa Existência; CHIT significa Consciência; ANANDA significa Bem-Aventurança. Deus (ou o Universo) é Existência, Consciência e Bem-Aventurança.

PARABRAHMA é aquilo que está além de BRAHMA. BRAHMA é o Ser ou Espírito Universal. PARABRAHMA é a causa de todas as causas, a essência de tudo no cosmos, aquilo que contém e permeia o Universo. É a verdade absoluta, sujeito e objeto, a suprema realidade.

PURUSHOTAMA é o humano mais elevado. Purush é humano. Utam é elevado. O Eu Supremo pode tomar forma em uma existência humana, e se manifestar como um Avatar.

PARAMATMA é a manifestação do Eu Supremo que está situado no centro de cada indivíduo (ou Atman). Os Upanishads comparam Atman e Paramatman a dois pássaros pousados como amigos no galho de uma árvore (o corpo). O Atman come seus frutos (o Karma), e o Paramatman apenas observa o Atman como testemunha das ações de seu amigo.

SRI BHAGAVATI é a forma como os indianos se referem às Divindades femininas.

SAMETA significa ‘em união’. SRI BHAGAVATE é a forma como os indianos se referem às Divindades masculinas. NAMAHA significa ‘eu me prostro e me curvo, busco a sua e orientação, reverencio e me entrego em gratidão’.

Recapitulando, ao cantar o Moola Mantra estamos literalmente chamando o Divino aos quarto ventos, e em tudo que está além dos quarto ventos, em todas as partes e não-partes do Cosmos.

Estamos percorrendo cada recanto do Universo manifestado e do não-manifestado. Estamos evocando o Divino em nós, e em suas encarnações como Avatares.

Ao cantar o Moola Mantra, evocamos o Divino através do OM ou BRAHMA, que é o aspecto manifestado e também o aspecto não-manifestado do Divino. Evocamos o Divino através das suas 3 características fundamentais, que são;

SAT-CHIT-ANANDA – Existência, Consciência e Bem-Aventurança. Evocamos o Divino que está além dos princípios manifestado e não-manifestado Dele, que é PARABRAHMA – a causa de todas as causas, a essência de tudo, aquilo que contém e permeia o cosmos. Evocamos o Divino que está encarnado na figura de Avatares, que nesse caso são as presenças de Amma e Bhagavan. E evocamos o Divino que está dentro de nós, através de PURUSHOTAMA.

Ao fim, demonstramos a nossa entrega e gratidão, com a palavra NAMAHA.

OM é o princípio universal, o som primordial.

SAT significa Existência.

CHIT significa Consciência.

ANANDA significa Bem-Aventurança, Êxtase e Felicidade.

PARABRAHMA é aquilo que está além de BRAHMA, é a causa de todas as causas, a
essência de tudo, aquilo que contém e permeia o cosmos.

PURUSHOTAMA é o humano mais elevado. Purush é humano. Utam é elevado.

PARAMATMA é a manifestação do Eu Supremo que está situado no centro de cada
indivíduo. Evocamos o Divino que está dentro de nós.

SRI BHAGAVATI é a forma como os indianos se referem às Divindades femininas.

SAMETA significa em união.

SRI BHAGAVATE é a forma como os indianos se referem às Divindades masculinas.

NAMAHA eu me prostro e me curvo, busco a sua e orientação, reverencio e me entrego em grati.


COMENTÁRIOS