Pedimos uma pequena ajudinha ao nosso amigo Aldebaran, O menino que lia nuvens, para descobrir quais são os tipos de nuvens que existem no céu. Olha só o tanto de coisa que descobrimos…

A formação das nuvens é o resultado da condensação do vapor da água que está na atmosfera e se transforma em gotículas de água, ou minúsculos cristais de gelo. Essa formação ou aglomerado de gotículas e cristais recebe o nome de nebulosidade.

A principal diferença entre os tipos de nuvens é a altura em que elas se formam ou onde está sua base, e essa altura varia de acordo com a posição geográfica. Ou seja, aqui no Brasil, as nuvens estão em uma altura diferente das que estão no Polo Norte, por exemplo.

Agora, que tal entendermos melhor aquelas formas que vemos no céu todos os dias?

Stratus: são as nuvens mais próximas do chão e não ultrapassam um quilômetro de distância da superfície. Quando vistas no céu, parecem um tapete. Podem dar origem ao nevoeiro, de acordo com o clima.

Stratocumulus: de formato arredondado, esse tipo de nuvem pode ser branco ou cinzento, e em geral parece um mosaico no céu. Quando se formam, podem causar chuva leve. Podem causar turbulência quanto atravessadas por aviões.

Nimbostratus: são nuvens baixas e verticais, sem formato definido, escuras e cinzentas. Também são volumosas, podendo ocultar totalmente o Sol. São as nuvens mais comuns em tempo chuvoso.

Cumulus: são o oposto da nimbostratus. Têm forma bem definida, coloração clara e parecem chumaços de algodão. Ver uma nuvem tipo cumulus é sinal de bom tempo, mas quando crescem muito verticalmente, podem causar temporais.

Altostratus: consideradas nuvens de altura média, essas nuvens são identificáveis por cobrir o sol. Geralmente são azuladas ou cinzentas e se formam por cristais de gelo ou gotículas de água muito fria.

Altocumulus: essas nuvens são as causadoras do efeito algodão que às vezes aparece no céu. Podem estar a até seis quilômetros de distância do chão. Ver este tipo de nuvem pela manhã pode ser um sinal de trovoada à tarde.

Cirrus: estas nuvens são consideradas altas, pois sua distância média do solo é de até oito quilômetros. São feitas apenas de cristais de gelo e, por conta disso, adquirem esse aspecto enovelado. Aliás, cirrus, em grego, quer dizer cachos de cabelo, daí o nome.

Cirrocumulus: têm aspecto enrugado e formação parecida com as nuvens do tipo cirrus, mas são mais finas e verticais. Sua distância do solo pode atingir até doze quilômetros. Diferente das altocumulus, não formam sombras.

Cirrostratus: estas nuvens se localizam logo abaixo das nuvens cirrus. São finas e leves, a ponto de não encobrirem o sol. Em vez disso, quando estão em frente ao Sol, formam esse efeito.

Cumulonimbus: são as nuvens de trovoadas e tempestades, uma versão maior das cumulus. São densas, esbranquiçadas e se formam quando surgem as frentes frias. São facilmente identificáveis por seu formato de bigorna e, por serem altas, são sempre visíveis da janela do avião.

Agora você também consegue ler nuvens.

FONTEBlog biruta gaivota
COMPARTILHAR
A Grande Arte De Ser Feliz

Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.


COMENTÁRIOS