Escolher sempre exige renunciar. Vamos atrás de coisas melhores?

Há entre muitos especialistas o consenso de que hábitos de vida saudável e equilibrada devem ser adquiridos preferencialmente antes dos 30 anos, pois nessa idade, por uma série de fatores, é frequente que as pessoas analisem a sua vida e avaliem o que querem mudar e o que querem manter. Também é o caso, portanto, de eliminar maus hábitos.

O site Business Insider, focado em temas profissionais e de carreira, listou vários hábitos “tóxicos” a serem eliminados até os 30 anos de idade. Usamos essas sugestões para destacar e adaptar 14 deles:

1: Não aproveitar o fim de semana

Dedique o fim de semana a descansar o corpo e a mente, a recarregar as forças, passear, exercitar-se de forma prazerosa, ler, meditar, rezar, sair com a família ou com amigos, cultivar hobbies, de preferência passando o máximo possível de tempo ao ar livre. Dê folga, portanto, também ao computador, ao celular e à sua cama: descansar, neste caso, não é sinônimo de ficar dormindo preguiçosamente (aliás, a preguiça só costuma deixar você mais cansado).

2: Fumar “socialmente”

Essa desculpinha mais que esfarrapada não engana a sua saúde. E você sabe disso.

3: Manter contato com pessoas que lhe fazem mal

Se já é difícil dedicar tempo a manter as boas amizades, não o desperdice com pessoas tóxicas. Seja educado, não arme escândalos, não prejudique ninguém e reze por essas pessoas, mas solte-se dos laços com quem prejudica você.

4: Não ter hora para dormir

“Rotina” é normalmente entendida como “chatice”, “mesmice”, mas não precisa ser assim. Ter horários claros, inclusive para dormir, melhora a qualidade do seu sono e o seu desempenho no dia seguinte.

5: Não praticar exercícios

A regra é clara: você não quer enferrujar? Mexa-se. Pelo menos três vezes por semana.

6: Escolher alimentos e bebidas de má qualidade

Uma taça de vinho por dia faz bem à saúde, dizem a ciência e a sabedoria popular. E é verdade, desde que seja bom vinho. Se a qualidade do vinho é ruim, o benefício é reduzido. No caso da comida, seja maduro: você sabe que é você quem abastece a sua saúde. Comece cortando um alimento prejudicial e acrescentando um saudável. Já acabou a infância.

7: Fazer as coisas porque acha que “tem que fazer”

É claro que, muitas vezes, precisamos fazer sacrifícios e encarar trabalhos e situações de que não gostamos. Mas até quando você pretende continuar suportando todo santo dia aquilo que não quer fazer?

8: Achar que a saúde física é mais importante que a saúde psíquica e espiritual

Alimentação cuidadosa e exercícios físicos regulares são importantes, mas e os cuidados da mente e do espírito? Equilíbrio!

9: Não coletar pontos em programas de fidelidade e de milhagem aérea

Não é só pelas recompensas materiais e pelas viagens: o hábito de coletar pontos exige uma disciplina razoavelmente simples, mas que se transforma em hábito e ajuda você a melhorar a gestão diária de gastos e poupanças.

10: Cancelar planos de última hora

É verdade que imprevistos acontecem, mas na maioria dos casos eles eram, na verdade, “previstos”. Tome cuidado para não cair no vício de prejudicar e decepcionar as pessoas no último minuto por causa da sua falta de planejamento e de delicadeza com os outros.

11: Zerar a conta no fim do mês

Muita gente pobre saiu da pobreza graças ao hábito de poupar todo mês, mesmo quando os valores pareciam insignificantes. O hábito de poupar leva ao hábito de observar melhor as oportunidades de ganhar (com honestidade, por favor). Existem muitos aplicativos que ajudam no planejamento financeiro – e a maioria deles é grátis.

12: Fugir de conversas difíceis

Os jovens em geral não gostam de encarar certas discussões complicadas, mas continuar fugindo delas quando você já passou da adolescência é sinal de imaturidade. Tire o peso dos ombros. Vai valer a pena.

13: Pensar demais no que os outros pensam de você

É evidente que é importante considerar o impacto da suas ações na vida dos outros: nenhuma pessoa sensata faz o que bem entende sem pensar no próximo. Mas isso é diferente de ficar o tempo todo se regendo pela opinião alheia. Faça o certo, seja fiel à sua consciência e não absolutize a imagem que os outros fazem de você: é problema deles, não seu.

14: Não ter planos de longo prazo

Praticamente ninguém tem plena clareza do que fazer na vida: não vale a pena martirizar-se porque você ainda tem dúvidas, inseguranças, sonhos pouco claros. É normal. Mas essa normalidade não é desculpa para você não ter a menor ideia do que fazer com a sua vida aos 30 anos de idade. Sente-se, avalie-se, reflita com serenidade e realismo e escreva o que você quer e o que não quer para a sua vida pessoal, familiar, profissional, acadêmica, social. Vá transformando isso em metas.

FONTEAleteia
COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.