Por Isaias Costa

Eu li um pequeno texto de autoria desconhecida e fiquei refletindo a respeito da simplicidade, algo que está sendo cada vez mais posto de lado no mundo de hoje, um mundo consumista, que coloca a felicidade nas coisas e na conta bancária, mas será que a felicidade está nisso? Eu vejo que nós buscamos tanta coisa que não é essencial, mas supérflua, e nem nos damos conta que aquilo poderia não ser buscado e a nossa vida ainda assim continuaria a mesma, ou até melhor. Acho que devemos parar para refletir.

O que é realmente essencial na minha vida? Será que eu realmente preciso do produto x para ser mais feliz? Será que eu não estou me sacrificando por algo que não vai me satisfazer de verdade? Será que eu não estou deixando de valorizar as pequenas coisas da vida em detrimento do meu trabalho? Pense sobre isso… Eis então o texto.

Será que é necessário se fazer tantas compras assim?

“O simples é aquele que não simula ser o que não é, que não dá demasiada importância a sua imagem, ao que os outros dizem ou pensam dele.

A pessoa simples não calcula os resultados de cada gesto, não tem artimanhas e nem segundas intenções. Ela experiencia a alegria de ser, apenas. Não se trata de levar uma vida inconsciente, mas de reencontrar a própria infância. Mas uma infância como virtude, não como estágio da vida. Uma infância que não se angustia com as dúvidas de quem ainda tem tudo por fazer e conhecer. A simplicidade não ignora, apenas aprendeu a valorizar o essencial.”

A ideia central desse texto é sobre o ESSENCIAL. Acho que todos devem conhecer a frase mais famosa do livro O pequeno príncipe, que diz: “O essencial é invisível aos olhos”. Linda frase, mas que a maior parte das pessoas não põe em prática na vida. Por que o essencial é invisível aos olhos? Porque o essencial são os relacionamentos interpessoais, o amor pelos pais, pelos irmãos, pela família, pelo marido, pela esposa, pelos filhos. O essencial é aquele aconchego de uma bela casa, aquela caminha macia que você se deita todas as noites para dormir, aquele café da manhã com cheirinho de orvalho, aquele sorriso no rosto da pessoa amada etc.

Isso é o essencial, que faz a nossa vida ter sentido e alegria. Os que ficam achando que o essencial é aquele belo carro importado, ou aquele casarão de frente pro mar, ou aquele restaurante chique que se paga até para espirrar, ou aquele computador, iphone, smartphone e o diabo a quatro de parafernálias eletrônicas que se vendem por aí, vão ficar velhos gagás e vão continuar infelizes, buscando a felicidade em lugares e coisas que nunca vão achar. Portanto amigos. Vamos colocar essa linda frase do pequeno príncipe na nossa vida e deixar de ficar apenas no discurso bonito, apenas ficar repetindo essa frase por aí não quer dizer muita coisa. É a vida que diz o que é essencial ou não.

Quero concluir deixando uma das músicas mais bonitas da banda Pato Fu, a música “simplicidade”, escute prestando atenção na letra, ela tem tudo a ver com o que estou dizendo aqui. “Quanto mais simplicidade, melhor o nascer do dia…”.

FONTEPara além do agora
COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.