No ano passado, Laura Beatriz, então com 15 anos, precisou adiar sua festa de aniversário devido às restrições impostas para frear a pandemia de Covid-19 em Praia Grande (SP).

Um ano depois, a jovem surpreendeu os pais ao contar o que queria de presente em sua festa de 16 anos: arrecadar e doar alimentos para famílias carentes de São Vicente, no litoral paulista.

Laura contou que teve essa iniciativa ao perceber que já possuía tudo o que precisava, como saúde e o amor da família e dos amigos. A decisão da adolescente repercutiu em todo o estado após a Prefeitura de São Vicente convidar a família para a entrega dos alimentos no Lar de Amparo da Vovó Walquiria.

Semanas antes da comemoração de Laura, muita gente começou a perguntar o que ela gostaria de ganhar de presente, mas ela acreditava já ter tudo o que precisava. Assim, a jovem enxergou a possibilidade de ajudar o próximo.

“A pandemia com certeza me incentivou a fazer isso, porque fiquei pensando em como poderia ajudar as pessoas. Quando me perguntavam o que queria de presente, eu pensava que já tinha tudo que queria, então por que não aproveitar esse momento pra ajudar ouras pessoas?”, relatou.

O aniversário de 16 anos aconteceu do dia 1º de agosto, mas a festa foi no dia 7 do mesmo mês. Os convites foram disponibilizados online – neles, Laura explicava a decisão, pedia 1 kg de alimento não perecível (de preferência arroz e feijão) e citava para onde a doação seria encaminhada.

Todos ficaram positivamente surpresos com a ideia e apoiaram as doações. Foi possível arrecadar pouco mais de 100 kg de alimentos, já que alguns doaram cestas básicas e mais de 1 kg de alimento.

Aos convidados, ela explicou que sempre foi muito apegada ao avô que faleceu há seis anos e realizava diversas ações sociais. Por isso, inspirada pelo legado dele, a jovem cresceu aprendendo sobre a importância de ajudar as pessoas que não possuem uma condição como a dela.

De acordo com a Prefeitura de São Vicente, a doação aconteceu no dia 26 de agosto. Além dos 100 kg arrecadados pela adolescente, o governo local ainda acrescentou outros 157 kg, totalizando uma doação de 257 kg em alimentos.

A professora Daniela Gomes Ferreira, mãe de Laura, conta que morou por 30 anos no bairro Jóquei Clube, em São Vicente, onde ela e o marido já passaram por condições difíceis e precisavam ter longas jornadas de trabalho.

Hoje, com uma vida mais estável, ela explica que sempre se esforçou para que a filha nunca se esquecesse dessa parte da história da família.

“Eu fiquei muito orgulhosa de colher uma sementinha plantada anos atrás, porque eu tive uma vida bem humilde, trabalhando muito sempre junto com meu marido e a gente conseguiu uma condição melhor. Mas eu tinha uma grande preocupação que ela [Laura] não esquecesse tudo que nós passamos um dia, então alimentei isso junto aos valores da família”.

Daniela ficou orgulhosa da decisão de Laura, tomada com firmeza e tranquilidade. De toda forma, a família não esperava a repercussão da história, mas ficou feliz em ver os convidados participando e o apoio que recebeu.

“Ano passado, quando ela precisou adiar a festa, a tristeza não era nem pela comemoração, mas sim por tudo que estava acontecendo naquela pandemia, pensando em como a gente faz tão pouco diante de tudo que está acontecendo. Para minha filha que teve essa iniciativa, foi tudo emocionante. Ela não imaginou essa repercussão toda”, concluiu.

Fonte:

Leia também: Idoso planta mais de 150 milhões de árvores ao longo de 10 anos no Senegal

Leia também: Professora usa memes na chamada de alunos e viraliza no TikTok; confira o vídeo

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS