Nesta segunda-feira (1), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou, em tom de ultimato, que a humanidade está a “um erro de cálculo da aniquilação nuclear”

Em sua visão, desde o auge da Guerra Fria” não havia risco semelhante. “Tivemos uma sorte extraordinária até agora. Mas a sorte não é estratégia nem escudo para impedir que as tensões geopolíticas se degenerem em conflito nuclear”, disse o português.

A fala foi redirecionada aos 191 países signatários do “Tratado de não proliferação de armas nucleares (TNP)”, em sua conferência anual.

Leia também: Cachorro ‘se rende’ junto com presos em operação que apreendeu 1 tonelada de drogas em SP

“Hoje, a humanidade está a um equívoco, a um erro de cálculo da aniquilação nuclear”, advertiu o secretário-geral, fazendo um apelo ao mundo para “se desfazer de suas armas nucleares”.

A 10ª conferência de análise do TNP, que entrou em vigor em 1970 para impedir a propagação das armas nucleares, será realizada até 26 de agosto em Nova York, onde fica a sede das Nações Unidas.

Pelo fim do arsenal nuclear

Ainda na reunião, Guterres disse que há uma “oportunidade para reforçar este tratado e adequá-lo ao mundo de hoje”, esperando que haja uma redução significativa do arsenal nuclear.

“Eliminar as armas nucleares é a única garantia de que nunca serão utilizadas”, completou.

“Cerca de 13 mil armas nucleares estão nos arsenais do mundo em um momento em que os riscos de proliferação aumentam e as salvaguardas para prevenir esta escalada se enfraquecem”, afirmou, mencionando as guerras no Oriente Médio e na península da Coreia, além da invasão russa da Ucrânia.

Leia também: Brasileiro se torna bilíngue aos 3 anos e aos 5 entra para clube mundial de superdotados

Fonte: G1

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS