O cuidado no cotidiano se apresenta nas mais variadas relações, como entre um casal, entre irmãos, com os animais de estimação, entre mãe e filhos, etc. Pode ser algo natural e fácil, mas não necessariamente. Nem todo mundo se sente apto a cuidar de alguém, pois exercer isso exige a capacidade de voltar a atenção e a energia para algo fora de si e algumas pessoas não estão dispostas, porque dá trabalho.

Acontece que o cuidado faz parte da vida de todos nós, se estamos aqui hoje é porque fomos cuidados, talvez não da maneira que desejávamos, mas fomos. Alguém nos alimentou, embalou, limpou e vestiu, voltou a sua energia e a atenção para nós, nos salvou de perigos. Da mesma forma a vida pede que cuidemos também em algum momento: seja no nascimento de um filho, quando os pais envelhecem, no tratamento com as plantas e com os animais.

O cuidado é altamente benéfico para a nossa saúde emocional, tanto aquele que recebemos quanto o que conseguimos oferecer aos outros.

Quando uma criança se sente cuidada, ela se sente amparada, protegida, apoiada. São aspectos muito importantes para um bom desenvolvimento psíquico e, consequentemente, para a formação de um adulto seguro e feliz.

Ter a capacidade de cuidar de algo ou alguém, nos ajuda a prestar mais atenção no que acontece fora de nós, a perceber a necessidade do outro, a nos esforçar para sermos um pouco melhores, nos mobilizando em direção ao coletivo.

Muitas vezes sentimos um vazio enorme por não termos recebido o cuidado de um pai ou de uma mãe e ficamos parado nesse ponto, tentando encontrar algo ou alguém que preencha essa lacuna. O duro é que em algum momento percebemos que ninguém é capaz de preencher isso. Aceitarmos a falta e ressignificá-la, nos ajuda a seguir em frente e a perceber que quem melhor pode nos ajudar nesse processo somos nós mesmos, através do auto cuidado. Esse processo não é simples, por isso, a psicoterapia é uma grande aliada na conscientização e na mudança de um padrão antigo.

Se observe sempre

Caso se sentir cuidado e amparado é vital pra você neste momento da vida, perceba primeiro como é que você está cuidando de si, em todos os aspectos. No visual, na saúde, se está se preservando de situações difíceis, etc. Como diz a frase da Clarice Lispector “Cuide-se como se você fosse de ouro, ponha-se você mesma de vez em quando numa redoma e poupe-se”.

Depois perceba como você está cuidando das coisas que estão ao seu entorno, da sua casa, das suas plantas, da sua família, da sua cidade. Muitos querem receber cuidado, mas poucos estão dispostos a oferecer. A vida pessoal e coletiva se enriquece quando incorporamos a habilidade do cuidar no nosso cotidiano. O mundo está precisando de pessoas capazes de cuidar. Dentro das nossas possibilidade podemos aproveitar pequenas e significativas maneiras de cuidar de nós mesmos e dos outros. Essas atitudes estimulam que os outros também nos tratem com carinho, tornando a vida mais leve e mais feliz!

(Autora: Marcela Pimenta Pavan)

(Fonte: acaminhodamudanca)

*Título original: A arte do cuidado

 

FONTEA caminho da mudança
COMPARTILHAR

A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.

COMENTÁRIOS