Um empresário de Sarandi, no Rio Grande do Sul, construiu um “Centro de Convivência para Idosos” com recursos próprios para atender de graça 600 pessoas acima de 60 anos.

Maurício Gehlen inaugurou o Centro no último dia 14 de abril em Paranavaí, no Paraná. O local terá atividades recreativas, educativas, oficinas e cursos de computação, culinária, artesanato, dança, mais sala de jogos, vôlei, ginástica, alongamento, pilates, musculação e hidroginástica. (vídeo abaixo)

Para as caminhadas foi construída uma pista no entorno de um jardim japonês, com flores, árvores e folhagem tradicionais terá um lago com carpas.

Investimento

Para a obra física e a aquisição de equipamentos e mobiliário, o empresário investiu cerca de R$ 5 milhões.

“O importante não é o que você investe, mas o retorno social deste investimento. Os nossos idosos querem ser valorizados, se sentirem úteis e se socializar”, diz o empresário.

A inspiração veio de uma infância de dificuldades em 1968.

“Eu nasci em Sarandi, no Rio Grande do Sul, mas ainda muito pequeno, mudamos para uma cidade vizinha, chamada Chapada. Papai trabalhava como frentista num posto de gasolina. E chegamos praticamente a passar fome naquela época, quando eu tinha uns sete para oito anos”, conta o industrial

“E só tinha um quarto. Dormíamos todos – meus pais, minha irmã Beatriz e eu – no mesmo quarto”.

“Entre os 11 e 14 anos, depois da escola ajudava papai, era engraxate à tarde e à noite ajudava no restaurante novamente. Depois arrumei uma caixa de isopor e fui vender sorvetes”.

Empresário

Formado em Química, logo passou a atuar em indústrias de processamento de mandioca.

Em 1989 chegou a Paranavaí, era consultor de uma indústria, depois teve a sua e finalmente achou um parceiro que aceitou investir numa fórmula de amido modificado de mandioca para pão-de-queijo.

Este amido permitia a produção de pão de queijo sem necessidade de escaldar a massa. O produto não existia no mercado. Hoje a empresa, Podium Alimentos, é a líder nacional deste mercado, dominando 25% dele.

Ajudar idosos

Em 2013, fez uma viagem ao Japão, quando conheceu entidades de atenção ao idoso.

Ficou apaixonado pela ideia e criou o Instituto Maurício Gehlen (IMG), um centro para idosos.

“É até uma forma de homenagear meus pais, que morreram em 2004, num acidente de carro. É uma forma de expressar minha gratidão a eles. Como os perdi e não posso dar atenção a eles, que partiram cedo, farei isto com outros idosos”, diz.

Centro de Convivência

Pra funcionar, o Centro de Convivência, assim como uma empresa, terá metas.

“Mas é uma meta intangível. É dar qualidade e prolongar a vida dos nossos assistidos”, diz ele, acrescentando que o CCI terá uma gestão empresarial.

Ele dá dois exemplos: para circular no Centro todos deverão usar crachás, como nas empresas e 42 câmeras vão monitorar o Centro.

“Se uma família nos ligar ou vier pessoalmente e precisar falar com um idoso que está aqui, rapidamente vamos encontrá-lo. Temos que dar respostas rápidas às demandas como numa empresa”, diz ele.

Para Maurício, o CCI é “um sonho realizado, que me gratifica muito. É uma sensação de poder manifestar a gratidão por tudo que a vida me deu. E me dá um prazer dizer que é mais uma missão cumprida”.

Com informações do Diário RS

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.