É inacreditável o nível de frieza de algumas pessoas, ainda bem que existem verdadeiros anjos!

Maria Martins é uma mulher de 58 anos que foi abandonada em um hospital, mas uma enfermeira de nobre coração, chamada Verônica Grossi, a adotou.

Verônica trabalha como enfermeira na área rural de Carangola, por 11 anos. Como a clínica de saúde estava longe para alguns moradores, ela tinha costume de pegar sua moto e visitar diariamente alguns bairros , caso alguém precisasse de ajuda .

Durante essas visitas, conheceu Dona Maria, que morava com sua filha e genro. “Dona Maria sempre foi muito comunicativa e carismática. Na época não estava doente e ríamos muito juntas. Ela vivi em uma situação muito precária, ao longo dos anos criamos um vínculo especial ”, contou a enfermeira.

Um dia, Dona Maria foi à casa de Verônica, que quando a viu soube que algo estava acontecendo. Verônica descobriu que a senhora além de sofrer agressões, filho e genro ainda à drogavam.

Embora Dona Maria não tenha dito nada a enfermeira, ela podia ver a tristeza em seus olhos. Ela tentou fazer algo a respeito, mas não teve sucesso, já que a mãe não queria prejudicar a filha.

Passado algum tempo, Verônica foi visitar a amiga e encontrou a casa aberta e silenciosa. Desconfiada começou a procurar o que havia de estranho no local, e Maria foi encontrada desmaiada bem próximo a cama.

“Na época, eu estava com tanto medo que pensei que tinha falecido. Corri para casa e peguei emprestado o carro do meu pai. Colocamos Dona Maria no carro e a levamos ao hospital diretamente para a sala de emergência. Ela estava muito desidratada e precisou ser hospitalizado por alguns dias . ”

Verônica entrou em contato com a filha da moça para informá-la da situação de sua mãe, mas ela se recusou a ir ao hospital para vê-la .

Estudos realizados em Dona Maria mostraram que a mulher apresentava um tumor na região torácica entre o coração e o pulmão. Foi nesse momento que a enfermeira decidiu conversar com Dona Maria sobre a reação da filha.

“Eu disse: Dona Maria, não vou mentir, sua filha não virá visitá-la. Mas você não precisa ficar triste, eu vou cuidar da senhora até resolvermos.”

Dois meses após a senhora ser hospitalizada, Verônica decidiu adotá-la. “Conversei com meu filho de 14 anos, com quem vivo, e disse a ele que ele precisaria de seu apoio para cuidar de Dona Maria, que teríamos que nos privar de certas coisas, e que gostaria muito da sua compreensão”.

O filho ficou feliz, aceitou e apoiou a mãe, e se colocou a disposição para ajudar. Com tudo certo era a hora de dar a notícia a dona Maria, nesse momento a emoção falou mais alto, e a felicidade era nítida.

Infelizmente, Dona Maria se sentiu mal novamente e foi hospitalizada com probabilidades de metástase. O tratamento para o câncer é caro e a Verônica não tem dinheiro suficiente para fornecê-lo. Por isso, ela decidiu fazer uma campanha de apoio para que pessoas solidárias pudessem contribuir.

Já são mais de seis meses vivendo juntos, cheios de amor e carinho.

Boa sorte dona Maria! 

Traduzido e adaptado do site Nation

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.