Não é de hoje que a discussão sobre o respeito à diversidade e o acolhimento dos diferentes núcleos familiares nas escolas vem crescendo em todo o mundo. Muitas vezes, as tradicionais comemorações de Dia dos Pais e Dia das Mães, ao invés de felicidade, causam tristeza e descontentamento para algumas crianças.

Um exemplo bastante comum é de crianças que não conhecem o pai. Em um país onde 5,5 milhões de crianças não possuem o nome do pai no registro, a comemoração do tradicional Dia dos Pais na escola representa a exclusão de um grande número alunos. Assim como acontece com os que são criados pelos avós ou tios.

Com isso em vista, a escola Estadual Professor Alvino Bittencourt, localizada na Chácara Califórnia, na cidade de São Paulo, decidiu substituir as festividades do Dia dos Pais e Dia das Mães por uma comemoração que homenageia “Quem cuida de mim”.

A ideia é acolher todos os diferentes tipos núcleos familiares. “Percebíamos que com a chegada das tradicionais celebrações familiares, aqueles alunos que não têm mais mãe ou pai ou que não podem conviver com eles ficavam muito tristes por não ter nenhum dos dois ali na plateia. Então trocamos para o Dia de Quem Cuida de Mim e todos se sentem integrados, as crianças estão mais confiantes”, conta a vice-diretora Simone Lopes Guidorizzi.

A comemoração do dia de “Quem cuida de mim” é uma festa aberta a todos e a criança tem a liberdade de convidar quem ela quiser: pais, mães, avós, avôs, irmãs, irmãos, tios e tias. A ideia parece ter agradado os mais de 400 alunos da escola e já está sendo copiada por outras escolas no Brasil.

FONTEMais Vibes
COMPARTILHAR

A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.

COMENTÁRIOS