Por site Intensitude 

Surgiu um vídeo na rede que mostra um homem que desaparece toda vez que se cobre com um manto, despertando o interesse inclusive do departamento de segurança pública Chinês. Enquanto aguardamos a veracidade do tal manto, fica a dica: quer ver uma pessoa invisível, basta colocá-la na pele de uma mulher de 50 mais anos.

Para muitos de nós, o processo natural de envelhecimento é perfeitamente gerenciável, uma ruga ali, uma dorzinha aqui, uma visão embaçada acolá. Dia a dia vamos nos ajustando.

Mas a invisibilidade feminina ao envelhecer é diferente, é uma sensação que você não é tão importante e perceptível para os outros. Tecnicamente não dói, mas nos atinge em uma área importante e que não pode ser deixada de lado: a autoestima.

A primeira vez que me senti invisível estava em um restaurante à beira mar em José Ignácio no Uruguai, o lugar estava cheio como de costume e tive que esperar vagar uma mesa para almoçar, me aproximei do bar onde havia mulheres e homens sentados, bebericando enquanto aguardavam e obtive um olhar breve, mas que revelava um completo desinteresse, como se uma cortina negra desenrolasse naquele instante, dividindo o mundo deles do meu. Depois de encolher interiormente, pensei nas razões que levaram a isso…

À medida que os dias, os meses e anos passavam percebi que este olhar estava em todos os lugares, gradualmente comecei a me retrair.

A invisibilidade tem diversas faces, que atinge todos os campos de nossa vida, assim como:

✔ Quando você vai ao médico ele já não pergunta se existe a possibilidade de uma gravidez ao te receitar um medicamento importante.

✔ Quando o atendente do cinema lhe pergunta se o seu ingresso é meia idade.

✔ Quando no metrô, no supermercado, na rua, ninguém te nota.

✔ No negligenciamento da moda, na descaso dos atendentes deste setor, no olhar de desdém dos jovens na academia.

✔ Quando seu cabeleireiro tenta te convencer a cortar, a pintar, fazer mechas para disfarçar a sua idade.

✔ Na total falta de representatividade na rede, nas revistas, nos comerciais e publicidade que não seja de fixador dental e convênio médico.

✔ No olhar de completa repulsa quando se fala do desejo de namorar, na cegueira da mídia, no deslizes do marketing, todos em prol ao condicionamento forçado à invisibilidade feminina.

As mulheres enfrentam julgamentos duros sobre sua aparência e atratividade, numa cultura obcecada por juventude, corpo e imagem.

O tema menopausa está eternamente em alta, não falta conteúdo, tem escrito, ilustrado, comentado, gravado. A relevância sobre o assunto é tamanha, que faz parecer que perdemos a vida útil. Pouco se fala da andropausa masculina.

Poucos homens deixaram ou reduziram suas carreiras para se dedicarem ao trabalho de “menor visibilidade” em casa e na educação e cuidados com os filhos. A mulher que se dedicou à família experimenta o um golpe triplo: a invisibilidade, os filhos que saem de casa e a necessidade de encontrar uma nova identidade, um novo emprego, uma nova maneira de se reconectar ao mundo.

Muitas lutam com bravura contra a invisibilidade, fazem academia, ajustam seus estilos, se reencontram em uma nova carreira, empreendem, voltam a estudar, a namorar, viajar, etc.

Outras entram e saem de cirurgiões plásticos. Embora eu não as condene, na melhor das hipóteses apenas adiam a invisibilidade acrescida a total perda da naturalidade.

Não existe mágica, passamos a ver algumas mudanças culturais que sinalizam um futuro mais positivo para as mulheres, mas para deixarmos de nos sentirmos invisíveis temos que:

1 – As mensagens e olhares sobre a sua idade não vão mudar o seu futuro, a mídia reforça a invisibilidade das mulheres, colocando homens mais velhos ao lado de mulheres jovens, elas estão nas capas de revista, na televisão, nos comerciais, no cinema, e assim por diante. Essas são imagens empurradas pela indústria de entretenimento e não refletem a realidade que a gente vive. Você sabe dos seus valores e potencialidades, não se sinta desvalorizada.

2 – Aceite, assuma quem realmente você é! Qual a sua essência? O que você escolhe fazer, e quem escolhe ser faz toda a diferença!

3 – Faça planos, é uma atividade vital para ter de volta o senso de direção e propósito.

4 – Desapegue de pensamentos e pessoas negativas, abrace essa época da sua vida. Seja otimista e não se esqueça de sorrir, onde quer que esteja.

5 – Junte-se a clubes, grupos de diversão ou de estudo, dessa forma, você conhecerá pessoas com interesses semelhantes, de todos os estágios da vida. Ao compartilhar seu interesse com os outros, a idade não importa, então você tem a chance de fazer amigos de outras idades e de aprender uns com os outros.

6 – Analise o seu guarda-roupa, doe cada peça de roupa que não valoriza a sua personalidade, divirta-se e mantenha seu estilo acima de todas as regras, padrões e tendências.

7 – Passe um tempo se cuidando, faça uma massagem, coma frutas e vegetais. Compre produtos para preparo caseiro, não se automedique, cuide-se!

8 – Mantenha-se ocupada, faça aulas de dança, junte-se a um grupo de caminha. Há grupos para qualquer atividade que você pensar. Faça uma pesquisa e corra atrás. Você pode escolher ser infeliz ou seguir em frente.

9 – Apaixone-se por uma causa e faça trabalho voluntário, faça pesquisas online e escolha uma causa. Encontre pessoas de verdade fazendo coisas de verdade para ajudar o planeta e outras pessoas.

10 – Esteja interessada no mundo ao seu redor, leia jornais, livros, assista a séries, filme. Mantenha-se informada e consciente do que está acontecendo.

11 – Visite lugares, se você vive numa cidade grande ou perto de uma, explore-a. Conheça a riqueza cultural, gastronômica e natural, aprenda profundamente.

12 – Saia e divirta-se, vá ao teatro, orquestras, cinema, shows e palestras, você não precisa estar acompanhada para se divertir.

13 – Viaje, visite novos lugares. Não há nada como uma viagem para rejuvenescer perspectivas sobre a vida. Você voltará revigorada e pronta para experimentar coisas novas. Além disso, pode acabar fazendo novos amigos.

14 – Volte a estudar, faça aulas à noite ou por tempo integral, algo que você sinta que estenderá o seu conhecimento e dará uma nova perspectiva de vida. Talvez você até mude sua carreira; essa pode ser uma forma de suprir sua necessidade de mudança e encontrar novos amigos.

Embora eu não possa ajudá-la a encontrar-se, sei que quanto mais tempo eu invisto em pessoas que valorizam a beleza, a força e o caráter moldado através do tempo, menos tempo perco com pessoas que não são capazes de ver além das aparências.

Encerro em duas fases, a primeira com a frase de Simone de Beauvoir que define bem todas nos mulheres:

“Ninguém nasce mulher, torna-se mulher.”

( Ana Cláudia)

FONTEIntensitude
COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.