Não é porque os cachorros têm fama de serem os nossos melhores amigos que eles vão fazer tudo o que queremos. Não mesmo!

Se por um lado o fiel companheiro enche a sua vida de fofurice e percebe quando você está alegre ou carente, por outro, ele consegue farejar de longe quando você tenta enganá-lo.

Uma pesquisa feita na Universidade de Kyoto, no Japão, e publicada na revista Animal Cognition, fez essa descoberta por meio do velho truque da bolinha invisível, aquele em que você finge jogar algo para o seu cãozinho buscar.

Apesar de sair correndo a procura do objeto imaginário na maioria das vezes em que você faz essa brincadeira, aos poucos, o pet fica cada vez mais esperto e logo saca que está sendo enganado, ou seja, que você está mentindo para ele.

Nesse estudo, os cientistas queriam confirmar se os animais apenas obedeciam cegamente os gestos da bolinha sendo arremessada ou se esse comportamento viria do fato de eles confiarem 100% em seus respectivos donos.

E, se caso a pessoa desse sinais de ser indigna de toda essa confiança, quanto tempo demoraria até eles a desobedecerem ou ignorarem os seus comandos.

A Pesquisa

Trinta e quatro cachorros participaram do experimento que foi realizado em três etapas:

Na primeira, os humanos apontavam para eles o local onde os seus brinquedos estavam escondidos.

Na segunda fase, a mesma coisa acontecia mas os objetos não estavam mais no lugar indicado.

E na terceira e última rodada, novamente eram mostrados os locais corretos com os itens.
Pronto! Foi descoberto que os bichinhos eram enganados apenas uma vez. Na terceira rodada, a maioria dos pets participantes da pesquisa já não acreditava na pessoa. A partir do momento em que passavam a perna neles, sua confiança diminuía.

Em outro teste, as mesmas três etapas aconteceram novamente. Mas agora, pessoas diferentes faziam os gestos e apontavam os locais. Bonzinhos que só, os cãezinhos esqueciam o passado e acreditavam no “novo humano”.

Ou seja, eles distinguem os indivíduos confiáveis daqueles que podem tirar onda com eles.

“Os cães têm uma inteligência social mais sofisticada do que pensávamos”, disse Takaoka Hogenboom, líder do experimento. “Esta inteligência social evoluiu juntamente com os anos de convivência ao lado dos seres humanos”, explica o cientista.

Agora que você sabe disso, aproveite bem enquanto o seu mascote ainda é parceirão e confia em você, pois a zoeira, nesse caso, tem fim.

 

FONTEScience Alert
COMPARTILHAR

A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.

COMENTÁRIOS