A primeira ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, tornou-se a governante mais popular do mundo em pouco tempo. Com sua maneira calma e assertiva, ela acaba de anunciar que a Nova Zelândia está livre do coronavírus e que o último paciente isolado no país teve alta na segunda-feira (8).

novazelandia.coronavírus-2

Jacinda dançou de alegria quando soube que a Nova Zelândia já não tinha casos ativos de covid-19

Em anúncio oficial feito na manhã da última segunda (08), quando questionada qual foi sua primeira reação ao saber que seu país estava livre da pandemia, ela sorriu e respondeu: “Eu contei pra minha filha Neve. Ela foi pega de surpresa, mas mesmo assim se juntou a mim, sem ter absolutamente nenhuma ideia do motivo pelo qual eu estava dançando pela sala”.

A diretora-geral do Ministério da Saúde – Ashley Bloomfield, disse que o país vai continuar mantendo a vigilância, mas irá retomar a economia nos próximos dias. “Não ter casos ativos pela primeira vez desde 28 de fevereiro é certamente um marco importante em nosso caminho, mas, como dissemos anteriormente, será essencial manter a vigilância contra a Covid-19”, explicou.

Ao contrário de Jair Bolsonaro, atual presidente do Brasil, Jacinda ganhou manchetes e foi extremamente elogiada pela rápida resposta em relação à pandemia. O resultado foi que a Nova Zelândia registrou 1.154 casos confirmados e apenas 22 mortes. Sabemos que não podemos comparar os dois casos, mesmo porque o Brasil possui mais de 200 milhões de pessoas, mas o que está em jogo aqui é o respeito pela vida.

Segundo ela, a partir de agora todas as restrições acabam, exceto os rigorosos controles nas fronteiras. Ardern disse que os neozelandeses viveriam em um país “onde a vida parece tão normal quanto possível, no tempo de uma pandemia global”. Assista seu pronunciamento abaixo:

Traduzido do site: Quokkamag

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.