Anna Sueangam-iam foi a única das 29 participantes do concurso que não tinha sobrenome estrangeiro e que teve um passado humilde como filha de catadores de lixo. Mesmo assim, ela derrotou aquelas que a julgaram por isso e foi coroada como representante de seu país!

Muitas meninas ao redor do mundo sonham em ser reconhecidas e famosas quando adultas, e até mesmo anseiam por serem coroadas como misses. Foi o caso de Anna Sueangam-iam, que apesar de sempre lutar por seus desejos desde pequena, sempre teve um caminho difícil só porque foi julgada pelo trabalho honrado dos pais.

Anna tem 23 anos, é natural da Tailândia e, como muitas jovens de sua idade em sua terra natal, vem de uma família esforçada, que trabalhou todos os dias de suas vidas para poder se manter de pé.

Embora a jovem se orgulhe imensamente disso, aparentemente o resto das pessoas não, pelo simples fato de seus pais serem conhecidos por trabalharem como lixeiros.

Na verdade, o trabalho de seus pais pregou uma peça em seus sonhos e ela foi injustamente julgada por isso.

Acontece que Anna é dona de uma beleza inegável, algo que ela sempre quis aproveitar para um dia se tornar Miss Universo e ser coroada a mulher mais bonita do mundo.

Pelo mesmo motivo, a garota entrou no concurso nacional da Tailândia, para escolher sua representante Miss Universo. Ao chegar, ela percebeu que o resto de suas outras 28 companheiras tinham sobrenomes estrangeiros e muitas vinham de famílias ricas. Isso fez com que Anna fosse julgada pelo público, que depois de saber a origem da mulher, a apelidou de “Miss Trash” (Miss Lixo).

Inclusive, durante todos os meses de competição, apesar de a garota deslumbrar por sua finesse, talento e simpatia, esteve longe de ser uma das favoritas do público tailandês o tempo todo.

Mas, Anna Sueangam-iam decidiu deixar todas as críticas para trás e continuar lutando pelo que queria: a coroa. Hoje, graças à perseverança da jovem de 23 anos, o júri do concurso a considerou digna de ser a representante da Tailândia no Miss Universo.

Anna não foi apenas a vencedora da coroa e 27 mil dólares como prêmio, mas também conquistou o respeito de todos os seguidores do concurso, que antes a humilharam por ser filha de catadores de lixo. A menina mostrou que não há necessidade de se envergonhar de suas origens, e que de onde ela vem não determina o que ela pode alcançar na vida.

RECOMENDAMOS