Giovanna Ewbank fez um desabafo sobre o filho Bless, de 8 anos, que tem uma síndrome sensorial e explicou, aos prantos, que se sentiu culpada ao saber.

“Poderia pensar que era frescura o resto da vida se não olhasse diretamente para o meu filho”, desabafou a mãe, no que afirmou ter sentido grande culpa após o diagnóstico de Transtorno de Processamento Sensorial (TPS).

Sobre esse Transtorno, o médico especilista Alexander Bez concedeu uma entrevista à ISTO É e tirou algumas dúvidas sobre o assunto.

Para o especialista, o Transtorno é relacionado com uma dificuldade do “cérebro em processar os estímulos externos e os estímulos ambientais. É um transtorno próprio, mas que, muitas vezes, pode ou não ter associação com o TEA (Autismo). É um espectro de origem neurológica, mas abrange a esfera neuropsicológica”.

Para Telma Abrahão, que é biomédica especialista em neurociência do desenvolvimento infantil e idealizadora da Educação Neuroconsciente, o diagnóstico do Transtorno do Processamento Sensorial em crianças é muito importante, pois, sem ele, ” os pais ou cuidadores tendem a achar que a criança é ‘mimizenta’, ‘fresca’ ou ‘mimada’, quando, na verdade, ela sofre com os diferentes estímulos sensoriais e sensações que o ambiente, os alimentos ou os tecidos das roupas podem causar nela. Isso impacta negativamente relacionamentos e o comportamento da criança que fica irritadiça e pode explodir com mais facilidade”.

Segundo ela, crianças com esse Transtorno tendem a ser mal interpretadas e até disciplinadas pelos pais, que não conseguem interpretar bem o seu comportamento.

Não existe cura para a síndrome, sendo necessário o acompanhamento de perto por parte de profissionais multidisciplinares para minorar os efeitos.

RECOMENDAMOS



Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.