A entrega do Oscar deixou muitas surpresas e começou a abrir caminho para uma nova Hollywood mais inclusiva e progressiva, com produções mais representativas e diversas. Embora as categorias de animação sejam geralmente minimizadas nos prêmios, este ano parece que eles tiveram grande força, principalmente os curtas animados. Foi assim que “Hair Love” acabou roubando o coração de todos.

A animação não é apenas perfeita e usa técnicas 2D tradicionais, mas também a história é emocionante, cheia de significado e uma causa que nos faz pensar.

O curta é dirigido pelo jogador de futebol Matthew A. Cherry e conta a história de um adorável pai afro-americano que enfrenta a complicada tarefa de pentear a filha, na ausência de sua mãe.

A fita captura os estereótipos negativos que existem ao redor do cabelo natural em meninas e mulheres de cor. Ao mesmo tempo, representa a beleza da união familiar e do valor próprio. Embora o fim seja o que causa um impacto importante no público, uma vez que entendemos que a mãe da protagonista não é porque ela tem câncer e que, devido ao tratamento, ela perdeu o cabelo.

View this post on Instagram

Incredible Dictionary #HairLove fan art by @art_of_a_giant

A post shared by Hair Love (@hairlovemovie) on

O ritual de pentear uma garota é uma expressão de amor na comunidade afro-descendente e faz parte de sua identidade. Esta é uma prática que é transmitida de mães para filhas, mas cada vez mais pais estão aprendendo a modelar os cachos de suas filhas:

Este filme captura lindamente como uma menina vê seus cabelos como parte de sua identidade e algo que a lembra de sua mãe. Mas também, como o vínculo é fortalecido com seu pai, que teve que assumir uma das tarefas mais complicadas: fazer sua filha feliz.

Matthew A. Cherry explicou que ele foi inspirado por seus amigos com filhas que assumiram esse trabalho sozinhos e como eles também são apontados por estereótipos.

“Tenho muitos amigos que são pais jovens. Os pais negros são um dos piores golpes em termos de estereótipos: estamos ausentes. As pessoas que conheço estão extremamente envolvidas na vida de seus filhos”.

Cherry disse ao New York Times  que gostaria de continuar explorando a história de Zuri e seu pai.

Histórias como “Hair Love” são um passo importante na animação, porque fizeram as meninas serem representadas em qualquer forma de arte, seja na literatura, no cinema ou na televisão.

Durante seu discurso de agradecimento, Cherry disse:

“Hair Love foi criado com a intenção de ver mais representação na animação. Queríamos normalizar o cabelo das pessoas de cor . ”

View this post on Instagram

This ones for you #HairLove #Oscars

A post shared by Hair Love (@hairlovemovie) on

Assistam a essa fofura e se preparem para rir e chorar ❤

Traduzido e Adaptado do site Nueva Mujer

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.