Você se lembra daquela frase que tanto nos repetiam “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje“? Procrastinar é fazer, exatamente, o oposto disso. Mas o que está por trás deste comportamento?

As pessoas que procrastinam, muitas vezes, não conseguem evitar este hábito. É como uma força maior que, às vezes, não tem nada a ver com preguiça, mas com outros fatores.

Hoje vamos descobrir alguns deles.

Aspectos relacionados ao hábito de procrastinar

1. Ansiedade

Muitas pessoas tendem a procrastinar porque não sabem como gerenciar adequadamente suas emoções e o estresse que elas sentem acaba se transformando em ansiedade.

Eles tendem a ter personalidades ansiosas, que se distraem, que podem ver um projeto como algo excessivamente grande e impossível de finalizar. Diante de tudo isso, decidem adiar o que têm de fazer.

Às vezes não é que eles tenham outros projetos para se dedicar. É por isso que, em geral, tendem a perder tempo ou a dedicá-lo a projetos menores, quando o projeto que adiam tem uma prioridade especial.

Algumas maneiras por meio das quais as pessoas com ansiedade tendem a procrastinar nessas circunstâncias são através do autoengano ou desculpas como as seguintes:

  • “Agora não estou muito concentrado, vou fazer isso amanhã, quando estiver mais inspirado”.
  • “Não estou muito bem, vou me dedicar a essas tarefas mais mecânicas e vou me dedicar a isso, a sério, quando estiver melhor”.
  • “Eu tenho outras tarefas que posso terminar agora, vou me dedicar a elas e vou deixar esse para o fim”.

Como podemos ver, pessoas com ansiedade buscam uma recompensa imediata para eliminar esse sentimento desconfortável. No entanto, no longo prazo, isso pode piorar, porque o tempo passa.

2. Falta de organização

Quando falamos sobre procrastinar, é provável que a pessoa que o faça tenha um problema de organização grave. Cada um de nós deve encontrar a maneira que melhor se adapta às nossas necessidades de organização, porque para cada pessoa isso é diferente.

No entanto, é sempre necessário levar em consideração, como dissemos antes, a prioridade da tarefa em questão.

Existem diferentes tarefas em que podemos nos dar ao luxo de procrastinar, seja porque podemos planejá-las, deixá-las para outro dia e até mesmo delegá-las a outras pessoas.

No entanto, muitas vezes acontece que procrastinamos nas tarefas que têm uma prioridade especial. Portanto, uma boa organização pode nos ajudar a parar de procrastinar e, quando chegar a hora, acharmos que o tempo cai em cima de nós.

Por este motivo, é fundamental priorizar as tarefas importantes.

3. O erro de subestimar o tempo

Subestimar o tempo é algo que as pessoas não pontuais conhecem muito bem. Eles pensam que têm mais tempo do que realmente têm para fazer certas coisas antes de sair com os amigos, por exemplo.

As pessoas que procrastinam tendem a subestimar o tempo, embora isso esteja diretamente relacionado a algumas das desculpas que dão a si mesmas.

Por exemplo, uma pessoa que procrastina pensa que pode realizar o projeto que tem em mãos em dois dias. No entanto, o comum é que haja alguma complicação, dúvida ou problema que faz com que esse prazo se estenda.

Por esta razão, subestimar o tempo que uma tarefa exige pode nos fazer ficar estressados, quebrar os prazos e não fazer o nosso trabalho tão bem como devemos. Tudo isso resulta em resultados pouco gratificantes.

Quanto antes nos livramos de uma tarefa que nos motiva, mais cedo estaremos livres para completar outras de menor esforço, mas isso nos permitirá sentir que já avançamos muito.

Certamente todos nós lembramos do que nos diziam em nossos dias de escola: “Comece fazendo os exercícios ou estudando o assunto que você mais gosta “.

Um conselho muito sábio que pode ser extrapolado para outras áreas, como o trabalho.

FONTEMelhor com saúde
COMPARTILHAR

A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.

COMENTÁRIOS