Nova pesquisa de psicologia sugere que as pessoas obtêm alegria mais duradoura ao dar presentes

Pode parecer mentira mas uma nova pesquisa diz que você obtém mais satisfação em dar presentes do que em receber.
Normalmente, um fenômeno conhecido como adaptação hedônica é responsável por sentirmos menos felicidade toda vez que vivenciamos novamente algum evento ou atividade. Nos acostumamos até com as melhores coisas e queremos sempre mais. Mas quando damos algo aos outros, algo diferente acontece.

Os pesquisadores de psicologia Ed O’Brien, da Booth School of Business da Universidade de Chicago, e Samantha Kassirer, da Kellogg School of Management da Northwestern University, realizaram dois estudos. Eles descobriram que a felicidade das pessoas diminuia muito menos ou nada quando elas davam presentes repetidamente aos outros, em vez de receber o mesmo presente.

O’Brien atribui esse efeito ao nosso desejo de novas experiências.

“Se você deseja manter a felicidade ao longo do tempo, pesquisas anteriores nos dizem que precisamos fazer uma pausa no que consumimos atualmente e experimentar algo novo”, diz O’Brien. “Nossa pesquisa revela que o tipo de coisa pode importar mais do que se supõe: doações repetidas, mesmo de maneiras idênticas a pessoas idênticas, podem continuar a parecer relativamente novas e mais prazerosas quanto mais o fazemos”.

Um dos experimentos consistiu em ter 96 estudantes universitários recebendo $5 todos os dias ao longo de 5 dias. O problema era que eles tinham que gastar exatamente na mesma coisa para si ou para outra pessoa (como doar para caridade ou colocar dinheiro em um pote de gorjetas). No final de cada dia, os participantes do estudo tiveram que refletir sobre seus gastos e seu nível de felicidade.

Este estudo mostrou que ao longo dos 5 dias, os níveis de felicidade auto-relatada diminuíram para aqueles que gastaram dinheiro consigo mesmos. Aqueles que deram dinheiro a outra pessoa não mostraram tal desvanecimento na felicidade, no entanto. A alegria e a satisfação de dar são ainda mais poderosas a cada vez que você dá algo a alguém.

Para o segundo experimento, os pesquisadores fizeram 502 participantes online jogarem 10 rodadas de um jogo de palavras cruzadas. Os 5 centavos que ganharam a cada rodada poderiam ser doados ou guardados para si mesmos. Após cada rodada, os participantes relataram o quanto a vitória os deixou felizes. Aqueles que deram o dinheiro ganho relataram que sua felicidade diminuiu muito mais lentamente do que aqueles que se agarraram aos ganhos.

A explicação mais completa de por que as pessoas reagem dessa maneira ao dar algo pode estar no fato, dizem os pesquisadores, de que quando nos concentramos em um resultado como um salário, estamos nos preparando para ser menos felizes. Os contracheques podem ser comparados entre si, o que reduz nossa sensibilidade a cada uma dessas experiências. Quando nos concentramos em ações, como doar para uma instituição de caridade, por exemplo, a comparação se torna menos importante. O que acontece, em vez disso, é que tratamos cada instância de doação como um evento único que pode nos trazer satisfação e euforia interior.

Outra razão pela qual não nos acostumamos tão rapidamente com a felicidade de dar é por causa dos benefícios sociais que vêm junto com isso como agradecimento de um presente. Doar aumenta nossa “reputação pró-social” e fortalece nosso senso de conexão e pertencimento à comunidade.

Saiba mais sobre o assunto neste blog.

RECOMENDAMOS



Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.