Por Bruno Fernandes de Lima

Muitas pessoas acreditam que a honestidade é uma característica que não beneficia diretamente o indivíduo, mas somente aqueles com quem o indivíduo se relaciona. Há quem acredite também que há momentos em que a honestidade não é conveniente e deve ser deixada de lado. Qual a verdadeira importância de sermos honestos e quais as implicações da honestidade (e também da desonestidade) em nossa vida? Por que precisamos ser honestos, se é que realmente precisamos?

Primeiramente, é importante definir esse conceito. O que é honestidade?

A palavra honestidade é definida em um dicionário on-line como “Atributo do que é decente; qualidade do que possui pureza; particularidade do que não se pode reprimir moralmente; castidade”. Ser honesto significa ser verdadeiro. Significa dizer a verdade e comportar-se de acordo com ela. Significa evitar a mentira, o engano, a fraude. Significa deixar transparecer nas atitudes e palavras as nossas crenças e convicções.

O ser humano vive em sociedade. É obrigado a conviver com outras pessoas. A vida em sociedade requer o estabelecimento de regras, uma vez que cada indivíduo possui liberdades, e essas liberdades precisam ser limitadas. O limite da liberdade de um indivíduo deve ser sempre o ponto onde começa a liberdade do outro. Portar-se de forma correta em relação ao outro é uma atitude fundamental para o bom funcionamento da vida em sociedade. A polidez, as boas maneiras e o respeito, por exemplo, são essenciais para que todo o organismo social funcione de modo adequado.

A honestidade é importante na vida em sociedade

A honestidade é também uma característica importante para a convivência com os outros nas diferentes esferas (família, escola, trabalho, comunidade etc.). O indivíduo honesto, tanto em palavras como em atitudes, é confiável. É alguém com quem se pode contar.

Honestidade gera honestidade

A atitude honesta acaba sendo contagiosa. Honestidade gera honestidade. É pouco provável que alguém queira agir de forma desonesta para com uma pessoa que é conhecida por sua honestidade.

Honestidade traz paz de consciência

Além disso, a pessoa honesta goza de segurança e paz de consciência. Sabe que não há nada a temer, pois anda corretamente. O desonesto está sempre apreensivo, por temer que suas mentiras sejam descobertas. Sabe que corre o risco de sofrer uma punição, e não poderá protestar contra ela, porque terá a consciência de que sua punição será justa.

A honestidade é uma obrigação moral

A honestidade é uma obrigação moral. Quando somos honestos, temos mais qualidade de vida. Somos bem-sucedidos no que empreendemos. As consequências da desonestidade vêm cedo ou tarde, mas não deixam de vir. Não estou falando de castigo divino, ainda que os que creem em um Ser superior devam entender dessa maneira, mas trata-se de uma consequência natural da desonestidade, independente de suas crenças.

Podemos desenvolver honestidade

Podemos ser honestos se nos esforçamos de modo consciente para desenvolver essa atitude. Precisamos nos esforçar conscientemente para dizer sempre a verdade, agir com lealdade para com os outros, nunca enganar, nunca fraudar. Em algum momento poderá parecer que sofreremos algum prejuízo. Há muitas pessoas, como foi dito no início deste artigo, que acreditam que há momentos em que a honestidade não é conveniente. Não acredito nisso. Podemos deixar de obter alguma vantagem momentânea em certas situações sendo honestos, mas os benefícios sempre serão maiores. É o nosso caráter que está se fortalecendo, e ele se fortalece principalmente naquelas atitudes tomadas em situações e lugares em que acreditamos que não estamos sendo observados. É justamente nesses momentos que provamos para nós mesmos nosso verdadeiro caráter.

Vale a pena ser honesto. Vale a pena dizer a verdade e agir com lealdade. Nosso caráter se constrói a partir de pequenas atitudes diárias. São geralmente coisas muito pequenas, mas que acabam fazendo grande diferença em nossa vida.

FONTEFamília.com.br
COMPARTILHAR

A Grande Arte De Ser Feliz
Para todos aqueles que desejam pintar, esculpir, desenhar, escrever o seu próprio caminho para a felicidade.

COMENTÁRIOS