Algumas semanas atrás, um desabafo do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) durante a fase final da CPI da Covid viralizou nas redes sociais.

“Qual a imagem, enquanto pai, enquanto esposo e enquanto cidadão, o senhor vai passar para os seus filhos?”, indagou o senador, que é casado com um homem e tem dois filhos,  aoa rebater uma frase homofóbica postada pelo depoente, o empresário Otávio Fakhoury.

No discurso, ouvido por todos os políticos presentes, Fabiano afirmou: ‘Sua família não é melhor do que a minha’.

Leia também: Mulher cava poço próximo de sua casa para matar sede de sua família no Pará [VIDEO]

Otávio é suspeito de financiar a disseminação de informações falsas sobre a pandemia. Ele foi intimado a falar na CPI e, ao ter seu depoimento marcado, utilizou as redes sociais para atacar a orientação sexual do senador.

No Twitter, o empresário ofendeu o senador, comentando: “O delegado [Contarato], homossexual assumido, talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário… Quem seria o ‘perfumado’ que lhe cativou?”, debochou ele, se aproveitando de um erro ortográfico de Fabiano nas redes sociais.

Leia também: Cadela com doença muscular degenerativa resgata movimento das pernas com ajuda de fisioterapeuta

Na mesma rede social, Otávio mantém a frase “Deus, Família e Pátria” para se definir.

Aproveitando a sessão para esclarecer os fatos, Fabiano Contarato ocupou a cadeira da presidência da CPI, cedida temporariamente por Omar Aziz (PSD-AM), para se posicionar e declarou: “Eu estou expondo mais uma vez a minha família, meus filhos e o meu esposo para que outros não passem pelo que eu passei”.

Assista ao vídeo do discurso na íntegra:

“Eu sonho com um dia em que eu não vou ser julgado por minha orientação sexual. Eu sonho com um dia em que meus filhos não serão julgados por serem negros. Eu sonho com um dia em que minha irmã não vai ser julgada por ser mulher e que o meu pai não será o julgado por ser idoso”, disse o parlamentar, que é o primeiro senador brasileiro abertamente homossexual.

Por fim, discursou em defesa dos direitos da comunidade LGBTQIA+ e contra qualquer tipo de preconceito e pediu à Polícia Legislativa do Senado que investigue empresário Otávio Fakhoury pelo crime de homofobia – “inafiançável e imprescritível”, como destacado por Fabiano.

Fonte: G1

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS