Na última terça-feira (10), o estudante André Ramon, 26 anos, deu o abraço mais forte e esperado na mãe ao descobrir que foi aprovado no curso de Medicina da Universidade Federal do Acre (Ufac).

André lutou por 7 anos, estudando muito, para realizar o sonho de ingresso no ensino superior.

“Não tive condições para ensino mais avançado, sou ex-porongueiro, filho de empregada doméstica e o mais velho de sete filhos, não tive pai, então, minhas condições econômicas eram péssimas”, ponderou o jovem.

A notícia da aprovação não poderia ter vindo em um dia melhor: era o aniversário de André. Em choque com o resultado, ele comemorou com os amigos e fez questão de ir até o trabalho da mãe, a faxineira Vilenilde Arruda Maciel, 48 anos. Ela chorou de alegria ao saber das boas novas…

“Mãe, eu vim lhe avisar que não era uma ilusão, era só um sonho difícil e eu passei em medicina na Universidade Federal do Acre”, diz André antes de receber um amoroso abraço da mãe.

Com a voz embargada de tanto chorar, dona Vilenilde agradeceu o filho: “Esse é o melhor presente da mamãe. Graças a Deus, parabéns mesmo”.

Leia também: Mattel homenageia biomédica brasileira que sequenciou DNA do coronavírus com boneca Barbie

Mãe e filho são grandes parceiros. Dona Vilenilde, mãe solo de 7 filhos, sempre incentivou que eles trilhassem o caminho da educação.

Trabalhando como doméstica e faxineira, é ela que sustenta a casa sozinha. Quando jovem, ela não conseguiu terminar os estudos porque teve que trabalhar desde muito cedo.

Assim, ver André entrando na faculdade é motivo de orgulho e esperança.

“Tenho certeza que agora começa uma nova etapa nas nossas vidas. Estou com muito orgulho e espero que a gente consiga caminhar para uma vida melhor a partir de agora”, disse a mãe coruja.

André foi aprovado via Sisu – Sistema de Seleção Unificada – no 2º semestre com 731 pontos. No dia do aniversário, ele diz que não sabe qual foi a maior felicidade: saber que passou ou a oportunidade de poder contar isso para a mãe.

“Fui até o trabalho da minha mãe, porque ela quem esteve comigo esses anos todos e eu não via a hora de contar pra ela. A maior felicidade de um vestibulando como eu é poder dar essa notícia para sua mãe, dá esse orgulho, é a melhor coisa, às vezes até mais importante do que a própria aprovação. A gente almeja esse momento, de podermos contar isso para nossa mãe”, contou.

Daqui pra frente, ciente dos novos desafios que virão, ele acredita que sua vida mudará completamente.

“A expectativa basicamente é continuar a mesma luta até me formar, são cinco ou seis anos até me formar. Claro que a Ufac dá grande apoio em bolsas alimentação e isso vai me ajudar muito em casa e muitas pessoas dizem que vão me ajudar neste caminho. Muita gente diz que o difícil é sair da faculdade, mas eu penso o contrário. Agora que consegui entrar, consigo vislumbrar uma mudança de vida. Passar em medicina, além de uma realização do sonho, é a grande oportunidade de mudar de vida e fazer a casa da minha mãe que ainda é de madeira. Por isso que tem todo aquele sentimento no vídeo”, disse.

André tem seis irmãos: a caçula de 7, outro de 11, gêmeos de 16 anos, um de 19 e outro de 20 anos, que também faz curso de engenharia florestal na Ufac.

Sentindo o ‘peso’ de ser o irmão mais velho, ele quer ser exemplo para os mais novos e incentivar que eles trilhem também o melhor caminho pela educação.

“Medicina sempre foi uma coisa não muito palpável para nossas condições. Às vezes, eu tinha a sensação que eu não ia conseguir e o que me motivava a continuar é que eu queria ser espelho para eles e queria mostrar que uma hora tudo dá certo. A educação é o caminho mais garantido para mudar de vida”, concluiu.

Leia também: Mulher mostra orgulhosamente casa que ela construiu sozinha: ‘O importante é ter um lar’

Fonte: G1

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS