Após tanto sofrimento, Agatha Rebeca, de 12 anos, tem motivos para comemorar: dias depois de ter se submetido a uma cirurgia de correção na coluna, ela conseguiu dar os primeiros passos no hospital.

A menina tinha a “coluna em S”, cuja curvatura já havia ultrapassado os 100 graus desde a primeira consulta médica.

Em entrevista ao portal G1, a mãe dela, Ana Patrícia Maestrello, 35, informou que o quadro clínico da filha evoluiu muito bem e que, “com ajuda de fisioterapia, ela já deu os primeiros quatro passos e consegue ficar reta”.

“Esse momento para nossa família é tão maravilhoso que nos faltam palavras para descrever. A cada minuto, vemos a mão de Deus. Ver nossa filha em pé com a roupa certinha no corpo foi uma experiência fenomenal”, disse a mãe.

Leia também: ‘Aprenda mais e mais a repartir’, diz Whindersson sobre leilão que ajudou 101 famílias na Bahia

Após a cirurgia da menina, Ana Patrícia se disse “assustada” com a real estatura de Agatha, que nunca mais precisará andar curvada. “Nossa, como você está alta. Essa cirurgia cresce, né? Alonga a coluna”, disse em um post nas redes sociais.

Segundo Luciano Miller, médico ortopedista e cirurgião da coluna do Hospital Albert Einstein, responsável por operar a menina, sua cirurgia “foi um sucesso”.

Nos próximos dias, ela deverá receber alta hospitalar definitiva.

Em agosto do ano passado, Agatha foi diagnosticada com Escoliose Idiopática, doença que precisava ser tratada com absoluta urgência.

Em menos de 6 meses, sua curvatura na coluna evoluiu de 75 para 101 graus, o que colocou a família numa “corrida contra o tempo” para o tratamento, que custava R$ 250 mil na rede privada – ou 5 a 10 anos de espera via SUS.

Luciano explicou aos pais de Agatha que a coluna da menina estava numa curvatura insustentável. Afinal, o “S” já comprimia órgãos e tendia a aumentar.

Após 7 meses desde o diagnóstico, a família enfim teve um desfecho positivo, uma vez que a cirurgia, bem-sucedida, ocorreu na última sexta-feira (11).

Foram sete horas de operação, entre anestesia geral e instalação dos pinos. A parte médica foi bancada por Luciano, que se sensibilizou com o caso.

Uma vaquinha também foi levantada por Ana Patrícia, cujo valor, de R$ 50 mil, foi utilizado para dar a entrada ao hospital e para pagar a recuperação pós-cirúrgica.

Leia também: Cãozinho dança valsa de casamento com tutores e viraliza nas redes sociais [VIDEO]

Fonte: Brasil247

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS