Ana Paula Tolosa Safigueroa nasceu quando a mãe dela tinha apenas 13 anos, nos anos 70 e foi vendida pela avó, por ‘vergonha’.

Ana Paula viveu todos esses anos sem notícia da família biológica, até que resolveu procurá-la. Hoje, reunida com a mãe, ela diz que só tem a agradecer por tudo o que aconteceu.

Ela foi criada por uma boa família na Argentina e diz que talvez não tivesse tantas oportunidades se a avó não tivesse vendido a bebê.

Leia também: Ex-fuzileiro resgata 170 animais que poderiam ser sacrificados pelo regime talibã no Afeganistão

Gravidez precoce

Devora Safigueroa, hoje com 62 anos, disse que engravidou de um namorado na época e o rapaz sumiu.

Como era de uma família muito tradicional, a mãe dela resolveu vender Ana Paula logo após o nascimento. Devora contou que foi totalmente contra a decisão, mas não teve como impedir a mãe na época.

“Quando nasci, a parteira disse à minha mãe que eu era um menino e que tinham me dado a algumas pessoas em Magdalena. Era tudo mentira, para que ela nunca pudesse me encontrar”, diz Ana.

Ana cresceu a 20 quadras da família biológica, mas como não sabia que era adotada, nunca os procurou.

Leia também: Jovem de baixa renda cria motocicleta elétrica de madeira movida a energia solar

Reencontro

Quando tina 24 anos, a mãe adotiva de Ana revelou sobre a adoção e ela imediatamente iniciou as buscas pela família. Como tinha pouquíssimas informações, não encontrou ninguém na época.

Foi ano passado que Ana resolveu fazer uma publicação no Facebook sobre toda essa história. Uma prima dela biológica viu o post e mostrou para Devora e as irmãs biológicas de Ana.

Um teste de DNA realizado em agosto de 2020 combinou mãe e filha com 99,9% de compatibilidade.

Elas moram em cidades diferentes hoje, a uma distância de 3 horas uma da outra.

Ana fez questão de ir até a mãe dar esse primeiro abraço. Elas garantem que nunca mais irão se separar.

Fonte: The Sun

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS