Um material feito a partir das coroas de abacaxi e restos das cascas de milho estão servindo como matéria-prima para o desenvolvimento de utensílios biodegradáveis, como pratos e talheres.

Quem está por trás da iniciativa é a startup colombiana Lifepack, que vem trabalhando em uma solução alternativa ao uso de descartáveis plásticos há vários ano.

Ao final do uso dos utensílios, eles podem ser simplesmente ser jogados na terra para se decompor. Na linha de produtos biodegradáveis ‘Papelyco’ são incorporadas sementes que podem ser plantadas em áreas diversas.

Leia também: Moradora de rua idosa dormia em saco de lixo com seus cães para se refugiar do frio

Caso o consumidor não queira plantar seu pratinho, basta somente descartá-lo no lixo comum, onde ele irá decompor-se em questão de semanas.

Em suma, ao contrário dos descartáveis comuns – que formam a massa de plástico que inunda córregos e polui os oceanos -, os produtos da Lifepack são plantáveis, compostáveis e biodegradáveis.

Os criadores do produto, Claudia Isabel Barona e Andres Benavides, dizem que suas “embalagens geram vida”.

De quebra, o empreendimento gera trabalho: mais de 190 mulheres foram treinadas (incluindo 35 presidiárias) pela companhia, com 20 empregos diretos. Além disso, gera receita para mais de 10 produtores de abacaxi e famílias monoparentais, isto é, quando apenas um dos pais de uma criança arca com as responsabilidades de criar o filho.

Leia também: Idoso de 92 anos usa tempo livre para construir carrinho para cães paraplégicos

“Em 2010, a Colômbia gerou mais de 27 mil toneladas de lixo por dia; os EUA registraram 600 mil toneladas – sendo que apenas 35% dos resíduos foram reciclados. Especificamente na Colômbia, 4% vieram de pratos descartáveis ​​e copos, além de embalagens plásticas e de isopor. Enquanto isso, as embalagens dos EUA representam 30% dos resíduos sólidos e demoram entre 500 e mil anos para se decompor. Os efeitos de todo esse desperdício no meio ambiente, desnecessário dizer, são enormes”, afirmaram Isabel e Andres no site de financiamento coletivo Indiegogo.

O próximo passo do casal é lançar uma unidade de produção em Saint Louis, no Missouri, Estados Unidos. Daqui pra frente, a ideia é que o material seja aplicado em embalagens diversas, como de alimentos, bebidas, cuidados com a saúde, cuidados pessoais e embalagens industriais.

Fonte: Hypeness

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS