No último domingo (25), o almoço de família realizado na casa da operadora de telemarketing, Jacqueline Alvares, de 32 anos, foi interrompido perante a presença de um visitante inesperado: um macaco bugio teve acesso a residência da anfitriã ao escalar uma árvore no Jardim Batistão, em Campo Grande (MS).

Segundo a moradora, ela não acreditou no início que o animal estava presente no local: “Eu estava com visita em casa, sentada na varanda e a visita me perguntou se era um macaco e eu comecei a rir, e falei ‘claro que não né’. Quando eu olhei direito, vi que era realmente um macaco”.

O medo logo se instalou nos convidados e moradores do local, principalmente entre as crianças presentes no quintal, que logo começaram a gritar temendo um ataque do macaco. O tamanho chegou a assustar até os adultos.

“Meus vizinhos têm cerca elétrica, então não tinha como ele sair. Daí ele foi descendo pelo pergolado, onde as crianças estavam brincando. Como ele era grande eu fiquei com medo dele atacar. Daí meu marido tocou ele, e ele voltou para o telhado. Ficamos esperamos lá fora, até ele chegar no muro do portão”, conta.

Após pular o muro da casa de Jacqueline, ele subiu em um pé de Ypê, onde as imagens foram registradas, e a partir desta árvore, foi quando o animal teve acesso a um terreno baldio repleto de outras árvores, abandonando a casa da operadora de telemarketing.

Os moradores acreditam que o macaco ainda pode estar ali devido ao tamanho do lote.

Leia também: Estudante tem reação alérgica bizarra ao reverter preenchimento labial; veja fotos

O mamífero não foi visto novamente pelos moradores do local. Jacqueline conta ter acionado a polícia pelo 190, porém, nenhuma viatura foi enviada. Foi quando tentou contato com a PMA, (Polícia Militar Ambiental) e não conseguiu atendimento.

O responsável pela comunicação da PMA, tenente coronal Ednilson Queiroz, afirma que esse tipo de ocorrência pode ser feita pelo número (67) 99984-5013, e conta que os casos nem sempre requerem captura dos animais. O tenente afirma que a orientação é sempre ligar para o 190, órgão que é responsabilizado pelo encaminhamento das denúncias.

Leia também: Patrão se oferece para cuidar da bebê de funcionária para ela não largar emprego

Fonte: CG News

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS