O Parque Nacional de Virunga, na República Democrática do Congo, anunciou que a gorila africana Ndakasi, que ficou famosa em todo o mundo por uma selfie em que aparece em pé com outra gorila e um guarda florestal, faleceu nos braços de seu cuidador André Bauma, que cuidou dela por 14 anos.

Dona de uma personalidade simpática, forte e brincalhona, Ndakasi virou uma das principais atrações do Virunga – o primeiro parque nacional da África, criado em 1925 e cinco vezes maior que a cidade de São Paulo.

“Com grande pesar, Virunga anuncia a morte da gorila da montanha órfã Ndakasi, que residia no centro de Senkwekwe havia mais de uma década”, informou o parque.

A gorila faleceu nos braços de seu cuidador, a quem considerava como um pai e melhor amigo. “Na noite de 26 de setembro, após uma longa doença, seu estado se agravou rapidamente e Ndakasi morreu nos braços de seu guarda e amigo de longa data, André Bauma”.

Leia também: Jogador de vôlei perde R$ 4 milhões em golpe ao acreditar que namorava a modelo brasileira Alessandra Ambrosio

Apesar da tristeza do falecimento, os cuidadores do parque se disseram agradecidos por Ndakasi ter partido sobre os braços de alguém que a amava muito e fez todo o possível para garantir que ela não sentiria dor.

“A vida de Ndakasi está bem documentada e sua personalidade calorosa já apareceu em muitos programas e filmes (…). Ela também alcançou a fama na internet em 2019, quando uma selfie viralizou no Dia da Terra”, lembrou o Virunga.

A história de Ndakazi não começou muito bem. Ainda filhote, com dois meses de idade, ela ficou órfã após milicianos matarem sua mãe. Sua vulnerabilidade a impedir de retornar ao seu habitat e vida selvagem.

Assim, a gorila foi transferida para uma instalação do parque, onde ela e uma “amiga”, Ndeze, foram cuidadas por 11 anos – inclusive, é Ndeze que aparece ao lado de Ndakazi na selfie de 2019.

A fotografia foi feita pelo guarda florestal Mathieu Shamavu. Na época, ele disse à imprensa que estava andando com as duas gorilas quando teve a ideia da foto.

“Nós as deixamos soltas, então estavam à vontade. Elas estavam curiosas sobre o que estava acontecendo. Quando ficaram em pé, eu peguei meu celular porque não queria perder aquela imagem excepcional“, disse ele.

“Elas conseguem andar por um ou dois metros em pé, além de estarem acostumadas a humanos, o que as faz querer imitar o que as pessoas fazem”, afirmou Shamavu.

O parque, que fica entre as montanhas vulcânicas da África Central, abriga mais da metade da população total de gorilas-das-montanhas, uma espécie em extinção ameaçada por caçadores e grupos armados.

Leia também: Freddie Highmore, o menino-prodígio que deixou a atuação para estudar Filologia

Fonte: Upsocl

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS