“Uma coisa estranha acontece com muitas mulheres na faixa dos 40 anos, algo que eu tinha ouvido rumores antes de finalmente chegar nessa idade e certificar, mas não entendi completamente até vivenciar isso. De alguma forma, de repente, você simplesmente se torna a melhor versão de si mesma”.

Assim começa o relato da atriz Kate Winslet, vencedora do Oscar por “O Leitor”, de 2008.

“Quero dizer, há definitivamente algumas reclamações sobre ossos doloridos e a perimenopausa a serem apresentados nessa idade, mas há uma mudança interna que acontece quando você meio que entra em si mesma. Você sabe quem você é e se sente confortável em sua pele”, continuou a estrela em entrevista recente para o programa ‘Woman’s Hour ‘ da BBC Radio 4.

Leia tambémHá anos, idosa procura na internet uma família para passar o Natal: “Não tenho ninguém e isso dói muito”

“Tenho 47 anos, tem bits que não fazem mais o que você quer. Há algo de fabuloso em dizer: ‘Bem, é assim que as coisas são, não é?'”

Sim. É totalmente fabuloso. Meu corpo mudou de maneiras que parecem muito “velhas” para a idade que sinto por dentro, e há alguns dias em que olho para a pele do meu braço repentinamente enrugada e digo “Uau!” Mas, geralmente, há uma espécie de aquiescência à mudança que acompanha essa idade. Mesmo que cuidemos bem de nós mesmos e mesmo que usemos todos os cremes e soros do mundo, nossos corpos ainda vão mudar de maneiras que não podemos controlar. Lutar contra a mudança é infrutífero.

Winslet continuou:

“Mas acho que as mulheres chegam aos 40, certamente no meio dos 40, pensando: ‘Bem, este é o começo do declínio e as coisas começam a mudar e desaparecer e deslizar em direções que eu não quero mais que elas sigam. .’ E acabei de decidir não.

“Nos tornamos mais mulheres, mais poderosas, mais sexy. Nós crescemos mais em nós mesmos, temos a oportunidade de falar e falar o que pensamos e não ter medo do que as pessoas pensam de nós, não nos importamos tanto com a nossa aparência. Eu acho que é incrível. Vamos meninas, vamos apenas estar em nosso poder. Por que não? A vida é muito curta.

Tanto sim para tudo isso. Lembro-me de ser mais jovem e meio que temendo meus 40 anos, sentindo que tudo deve piorar a partir daí. Mas isso não. Nem mesmo perto.

Tenho exatamente a mesma idade de Winslet e senti esse poder que ela descreve.

Uma coisa que acontece é você começar a simplesmente e com calma não se importar com o que as pessoas pensam. Não é a versão intencional e semi-rebelde de não se importar com o que as pessoas pensam que alguns conseguem alcançar quando são mais jovens; é uma confiança genuinamente sem esforço que chega um dia sem avisar. Há uma liberdade na facilidade disso que é impossível saber até que você a experimente, mas é absolutamente delicioso.

“A vida é muito curta” meio que resume tudo. É um ditado que usamos da boca para fora quando somos mais jovens, ou que usamos para justificar todo tipo de risco YOLO, mas nessa idade é mais sobre não desperdiçar nosso precioso tempo, energia ou força vital em coisas que realmente não não importa.

Isso não quer dizer que as mulheres na casa dos 40 tenham descoberto as chaves para tudo ou nunca tenham dúvidas. Definitivamente não. Mas esta década é definitivamente poderosa. Não parece nada como parecia do lado de fora. Nunca me senti tão confortável na minha própria pele. Nunca me senti menos atraída pelas tendências . Nunca me senti melhor em meu corpo (e sim, nunca mais sexy). Tive amigas um pouco mais velhas do que eu que me contaram sobre esse fenômeno e, agora que eu mesma experimentei, quero compartilhar com mulheres que podem estar com medo de chegar aos 40 anos.

Não tenha medo – os anos 40 são fabulosos. Kate Winslet está certa. Nós nos tornamos mais nós mesmos, e isso é incrível. E pelo que ouvi de mulheres na faixa dos 50 anos , continua melhorando, pelo menos por um bom tempo.

“Vamos apenas estar em nosso poder”, diz ela. Sim, vamos. É o melhor lugar para se estar.

Leia tambémBanco Central da Argentina pode imprimir nota especial em homenagem à Lionel Messi

Fonte: Up!

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS



Gabriel tem 24 anos, mora em Belo Horizonte e trabalha com redação desde 2017. De lá pra cá, já escreveu em blogs de astronomia, mídia positiva, direito, viagens, animais e até moda, com mais de 10 mil textos assinados até aqui.