Um garotinho de 5 anos descobriu incríveis 15 asteroides em um projeto da NASA para pequenos entusiastas da astronomia.

Segundo sua família, o pequeno Miro Latansio Tsai sabe citar os nomes dos planetas do Sistema Solar desde que tinha dois anos.

Com a descoberta múltipla, o menino se tornou a pessoa mais jovem do mundo a rastrear asteroides do espaço profundo.

Leia também: Mãe solteira é condenada à prisão após deixar filha de 14 anos tomando conta dos irmãos

Segundo a advogada Carla Latansio, 40, seu filho prefere museus a parquinhos desde novinho.

Como exemplo, citou a vez em que eles foram ao Museu Catavento, onde o menino citou os nomes de todos os planetas do Sistema Solar.

“Apesar de ser um bebê de 2 anos, ele ficou alucinado! O passeio preferido dele sempre foi ir a museu. Ele não queria ir para o parquinho, sempre queria ir ao museu (risos). Miro não tinha livro de astronomia nessa época ainda e chegou lá mostrando todos os planetas por nome. Eu acho que ele viu na TV, porque ele vê muitos documentários”, contou.

Incrivelmente, Miro também já é fluente em inglês e está aprendendo mandarim com o pai, que é chinês.

Carla contou também que o filho lê desde o início da pandemia, quando tinha 3 anos.

“Ele não é desenvolvido só na parte da fala, mas em toda a parte cognitiva. Ele tem um raciocínio muito avançado para a idade. Miro sempre teve interesse muito grande por ciência e tecnologia, sempre foi curioso e queria entender como as coisas aconteciam”, disse.

“Ele fazia perguntas como ‘por que o sol é quente e a lua não?’ Perguntava tudo, ficava horas analisando um formigueiro, um sapinho, sempre foi muito investigativo. Na livraria eu mostrava livros infantis e ele não queria, ia direto nos atlas. Ele decorou como funciona o sistema digestivo e dava uma aula para a gente, os pais”, resumiu a mãe.

O menino prodígio identificou 15 asteroides por meio do Projeto Caça-Asteroides 2021, realizado pelo International Astronomical Search Collaboration (IASC – Programa de Colaboração de Pesquisa Astronômica Internacional, em tradução livre), em parceria com a Nasa e o Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System (Pan-STARRS).

De acordo com o programa, seu principal objetivo é “mapear constantemente o céu em busca de objetos próximos que possam apresentar risco de colisão com a Terra”.

Leia também: Motorista de app finge ser o namorado de uma passageira para salvá-la de um possível agressor

Fonte: G1

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS