A crise gerada pela pandemia teve grandes efeitos em diversas áreas, como a educação, pois com a mudança das aulas presenciais para as aulas online, milhões de crianças tiveram que abandonar os estudos por falta de ferramentas eletrônicas como computadores, tablets ou telefones celulares.

Além disso, a falta de internet em casa ou de eletricidade tem sido outros dos principais fatores para que crianças e jovens não possam se conectar às aulas online e acabem sendo forçados a abandonar os estudos.

Leia também: Mulher agradece aos médicos e enfermeiros que salvaram sua vida após experiência de quase morte

Infelizmente, com o início da pandemia, muitas crianças da comunidade da Fazendinha (SP), viviam essa realidade. No entanto, uma de suas moradoras, Sandra Ferreira, formada em pedagogia, resolveu botar a mão na massa ao oferecer sua própria casa para que as pequenas pudessem estudar.

De acordo com o portal Razões Para Acreditar, Sandra, que é mãe de cinco filhos, construiu em sua casa um quartinho para poder receber as crianças do bairro e tem dado aulas em meio à pandemia desde o início do ano para evitar a evasão de estudos por parte dos pequenos alunos.

“Tudo começou com um projeto que criamos para ensinar as mulheres da nossa comunidade a bordar. Trouxeram quem tinha filhos, então passamos a ajudar as crianças nas atividades escolares”, disse ela.

Leia também: Que susto! Jovem fica com pé roxo e unha amarela ao calçar tênis com piolho-de-cobra

Além disso, Sandra explicou que inicialmente dava aulas em sua cozinha, mas quando percebeu que o espaço estava cada vez mais reduzido para poder atender todas as crianças, resolveu construir uma sala de aula de madeira em sua casa para que todos ficassem mais à vontade e melhorar o processo de aprendizagem.

Dessa forma, Sandra tem conseguido ajudar dezenas de crianças da comunidade da Fazendinha para que continuem estudando até que os alunos tenham a possibilidade de voltar às escolas, acrescentando que tem sido uma experiência maravilhosa poder ajudá-los nesse meio. da pandemia.: “Sempre gostei de dar aulas. Trabalhei no Ceará como professora por 3 anos. Foi o melhor trabalho que já tive ” , finalizou.

Fonte: RPA

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS